Nosso dialogo

1111111111111

Oi !

Oi!  Respondo eu ( sem jeito )

Sabe no que  penso quando a vejo?

( eu sorrio … eu fico sem jeito… eu tento disfarçar! )  Em que?

Em como  seria perfeita a vida se tivesse  seus olhos em mim.

( Mas isso você já  tem, eu pensei … Pera ai, isso ta mesmo acontecendo ? * eu enlouqueço* )

Não  vai dizer nada?

Não sei  o que dizer sobre isso. (  Mas eu sei devia ter dito algo melhor! )

Quer  se casar comigo?

Você é  bem direto né?

Afirmação ou pergunta?

Pergunta… afirmação… Não sei!  Mau o conheço!

Mesmo  quem está casado a muito tempo não  conhece bem o cônjuge! Agente casa, depois se descobre!

Não é  disso  que estou falando! 

Então  quer se casar comigo?

Só  nessa hora voltei a raciocinar  (  e usei todo meu raciocínio imaginando  nosso casamento…repleto de conversas assim , sem nexo! )  * fiquei muda!*

Vou presumir que não quer hoje, mas amanhã vou tentar pedir sua mão de novo, ta bem?

Eu  ri, ele  sorriu  e foi embora.

Anúncios

Você é poesia

Quem foi que te deixou chegar assim ?

Tão de repente, repentinamente invadindo minha mente…

Você não  pede licença  garoto!

Quem foi que te deixou chegar assim ?

De um jeito que parece poesia, sentimento de paixão  em demasia…

211edbfab7cd22f536bc97af9fcead77

Havia tantos e eu vi você, havia tantas possibilidades de amor e eu quis você!

Quis seus olhos claros, e seu cabelo vermelho…

Quis um desses romances cinematográficos… um amor precoce!

Havia um bilhão de motivos pra não mergulhar nisso mas eu estava arrebatada demais, e isso me fez desconsiderar um sábio conselho…

Eu o quis !

E essa é  uma história louca sobre cachos vermelhos e olhos azuis…

Um quase, quase amor, que de tão louco e platônico foi parar nos livros

tumblr_mbwud2olfv1r4o2bao1_500_large2

Me disseram os sensatos ‘ É  estranho presumir amar alguém que não conhece

E quem conhece bem o outro?

Amamos o mistério, e supomos amar a descoberta.

Me disseram os sensatos ‘ Isso é loucura! ‘ 

Mas tudo bem não ter sanidade a troco de amor.

Esse é um mundo escuro até que você enxerga pelos olhos do outro …‘ me disse a consciência, e foi assim que minha razão também cedeu ao amor. 

Que diferença faz se enxergamos ou não? O amor nos torna cegos. E se vivo um romance as cegas, vejo que se parece com todos os  grandes romances da literatura, pois no amor não é preciso ver, basta sentir.

E de tanto sentir, escrevi pra ele um poema, baseado num devaneio sobre um nós que não existiu. O poema foi publicado num livro por uma grande editora.

Ele nunca leu, desconhece o poema e o  livro, tanto quanto desconhece o que  sinto.

Vai ver que todos os livros de poemas são feitos assim, de amores intensos, perturbadores e paradoxalmente encantadores … mais sempre platônicos.

Até que um dia por acaso ele escolhe  meu livro numa prateleira, folheia as páginas, para no meu poema, o lê, e o dedica a mulher que ama.

Essa mulher ao ler o poema compreende o quanto ele a ama  de verdade (como o que senti de verdade).

Foi meu amor traduzido em palavras, impresso, sofrido  e só então  lido por ele,  tocou o coração dele e o dela  também.

E  o que pode ser mais real do que as palavras de um poema, inspirado por um sentimento (real)?

Amor genuíno guardado em  prateleiras, pronto para ser descoberto e lido.

Amor genuíno, do tipo que não precisa se consumar fora das palavras.

Amor genuíno, por isso me bastou que ele houvesse me inspirado, e transferido meu amor a outro alguém.

Um quase amor real, mais que aqui  foi grande, e até  existiu…

Não vai acabar aqui, não fique triste por mim quando souber a verdade.

Você será meu pra sempre, pelo menos como está eternizado nos livros.

Isso é poesia, e os poetas não são de ninguém.No entanto suas palavras são de todos.Nascem pra amar e escrever, só isso.

E isso é tudo.


Esse é o fim  da serie de posts  Um quase, quase amor, abaixo todos eles na sequencia:

ep #1  Momentos de nada

ep #2  Nele

ep #3  Depois de ser arrebatado

ep #4  Acordar

ep #5 Fala

ep #6 Encontro

ep #7 Do meu interesse

ep #8 Conjurando seu amor

ep #9 Hig

ep #10 Preciosidades

ep #11 Melhor que dois

ep #12 Sobre uma coisa que queria te dizer

ep #13 Meio vazio o amor platônico 

ep #14 Exagero do meu romantismo

ep #15 Boba 

ep #16 Um quase, quase amor, que de tão louco e platônico foi parar nos livros


 Curiosidades 

O post  Amor platônico e desconexo , Inferno , A louca , Jogo de azar, Na real e Sobre o fim  também foram inspirados na mesma pessoa.

O livro com o tal poema será lançado agora em Abril pela Editora Vivara.

E não ele (o muso inspirador) nunca soube de nada.

Um quase, quase amor : Conjurando seu amor

Você me   levou na calma…

Na calma da sua  sutileza

Sutilmente me ganhado

Sou sua  

Definitivamente sua!

Sua antes das juras e do  anel 

Sua quando as luzes se apagam e o dia acende 

Sua antes e depois do trabalho

Sua no caminho de volta e em toda ida  a seu encontro

Já temos um elo maior do que tudo

Já tenho você do meu lado e esse é meu mundo

Releve as falhas agora

Revele de uma vez o mesmo

Porque  sou sua, completamente sua

E preciso que seja meu.

Conjuro  seu amor, pra que possa voltar a viver em paz …

tumblr_m6tkfe6iXi1qinh1vo1_1280

 

 

Um quase, quase amor : Do meu interesse

arrepio

Repeti  a cena uma,duas … três   mil vezes!

Agente  a de melhorar com o tempo  ( eu sei ! ).

É totalmente do meu interesse que melhore, como é do meu interesse nesse instante tudo sobre você, cada olhar, cada gesto, os pelos do seu braço arrepiando, seu embaraço em meio aos pensamentos que nos rodeiam no momento.

É  do meu interesse me permitir se apaixonar por você ( ainda mais ! ) de novo.

 

 

Um quase, quase amor : Nele

tumblr_nakxuykIyG1sxn6h3o1_540

Nele existe aquilo… Aquilo que eu  procurava sem saber o que era … agora eu sei.

Nele existe isso… Isso que eu nem sabia que precisava, e que agora se tornou necessário

( quase vital ).

Estou enlouquecendo, ou será que só agora compreendo o normal sentimento dos viventes… será que apenas agora compreendo o enigma por trás da alegria dos apaixonados?

Não sei, mas mesmo sem saber me sinto feliz, ele consegue me deixar feliz.

Nele em mim… eu na dele… ele sem ver, ambos sem entender .

Por que nós?

Por que agora?

Nele existe tudo isso ( questionamentos ), um mistério a desvendar.

Nele … ( ou pelo menos eu escolho pensar assim ).

Um quase, quase amor : Momentos de nada

Não sei se esse quase amor merecia de fato uma série de textos aqui no blog, mas o fato é que essa série necessitava de um quase amor pra existir, por tanto aqui estou, rs.

tumblr_inline_mkstvqXae01qz4rgp

Por alguma razão que desconheço ele surgiu, estava lá cruzando repentinamente meu caminho. Desde então ele está lá toda noite, na parte insuspeita da minha viagem nessa vida. 

Toda, toda noite! E isso antes me bastava.

Ve-lo era o momento alegre do meu dia, o momento da minha breve contemplação do destino perfeito pro meu fim ( ou talvez meu ,melhor começo ), mas agora tudo sobre ele me perturba, e nossos momentos me torturam.

Toda noite minha necessidade e meu desejo disputam por um instante á mais, mas o momento é breve, finda.

Toda noite ele vem, e nada acontece. Ele parte, leva consigo as chances, me derruba de volta pro mundo da ausência dele. Um mundo meio vazio.

Ele me deixa com o nada, o nada áspero e triste que há entre nós, e quer que eu sobreviva assim… não sei se posso.

Ele não pede meu telefone, não me chama pra sair, não diz nada estúpido sobre o clima ou apenas um oi sem graça.Ele é uma estatua viva ( me apaixonei por uma estatua viva! )…

Vida ? Será que de fato existe vida ali, congelado na carícia da própria barba apenas olhando pra mim?

É  a figura mais linda que já vi, mas é só uma figura, não passa de uma figura muda enfeitando as cenas de todas as noites ( tolo, assexuado,sem percepção! )

O mundo abaixo da minha pele já não esconde a verdade obvia, meu silencio grita, eu o quero.

Penso que nós dois deveríamos parar de desperdiçar o tempo raro que temos (momentos) com essa partida sem fim de paquera, porque esse é um jogo em que nós dois perdemos.

Devíamos ter a minima coragem de viver. Um aceno, um gesto qualquer, uma palavra, qualquer coisa além do nada.