Anemia: Causas e riscos

large (9)

No  post  Meu acidente (TCE), Anemia e melancolia falei sobre o diagnostico de anemia que  recebi no ano passado (meu segundo diagnostico da doença), e sobre as suspeitas de estar novamente com ausência de ferro no sangue.

Infelizmente para muita gente que conheço principalmente os workaholics do trabalho, ANEMIA não é  vista como  uma doença!   Mas é sim!

Eu mesma acreditava até que ela poderia desencadear a LEUCEMIA, mas não!

Graças a Deus não!

Mesmo que a anemia não seja tratada adequadamente, não há nenhum risco dela virar leucemia nem a curto nem a longo prazo.

Entretanto, a anemia pode ser um dos sintomas de quem tem leucemia, por isso, esta confusão costuma surgir.

RELAÇÃO ENTRE ANEMIA E LEUCEMIA

Os leucócitos malignos produzidos excessivamente na leucemia vão se acumulando dentro da medula óssea, ocupando espaço que antes era reservado para a produção de outras células do sangue, como as hemácias. Por isso, com o passar do tempo, o paciente com leucemia pode começar a ter anemia, que surge por falta de produção de novos glóbulos vermelhos pela medula óssea doente.

Portanto, a leucemia pode provocar anemia, mas a anemia não causa leucemia. Em hipótese alguma. Mesmo as anemias que duram anos não apresentam risco de se transformar em leucemia.

Fonte: http://www.mdsaude.com/2014/09/anemia-leucemia.html

O pai de uma amiga, teve anemia por anos, e acabou depois recebendo o diagnostico de leucemia, e  chegou  a falecer pelo nível em que a doença o debilitou. Mas como o artigo acima explica, não há riscos de uma anemia se transformar em leucemia.

No entanto  a anemia causa falta de oxigenação pela falta do ferro, causando sintomas como fraqueza  e indisposição, o que prejudica a pessoa em suas atividades diárias e sua  vida  social.

A anemia acontece quando o corpo da pessoa não produz glóbulos vermelhos em quantidade necessária, ou quando essas células estão deformadas, frágeis ou pequenas demais e se tornam incapazes de transportar oxigênio para o resto do corpo.  Fonte: http://www.ehow.com.br/anemia-causar-depressao-fatos_67370/

Essa falta de oxigenação  consequentemente  traz uma deficiência na absorção de nutrientes e vitaminas podendo  tornar esse individuo suscetível a outras doenças.

Perda progressiva das habilidades cognitivas

Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia, San Francisco, nos Estados Unidos, e publicado no periódico Neurology. Diz que a anemia pode aumentar em até 41% o risco de uma pessoa desenvolver demência – ou seja, alguma doença associada à perda progressiva das habilidades cognitivas, como o Alzheimer.

Os pesquisadores não sabem dizer com certeza de que forma a anemia eleva as chances de demência, mas acreditam que isso tenha relação com o fato de a doença prejudicar o transporte de oxigênio ao cérebro, o que pode danificar os neurônios e levar a problemas cognitivos. A pesquisa reforça que os idosos devem medir frequentemente seus níveis de hemoglobina para evitar a anemia.

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/anemia-aumenta-o-risco-de-demencia-diz-estudo

large (38)

Depressão pode não ser um resultado direto da anemia, porém pode ser uma demonstração indireta de como a pessoa está se sentindo cansada e desgastada por conta dos sintomas da doença.

o-INSTAGRAM-PERIOD-PHOTO-900

Ao contrário do que a grande maioria acredita a anemia nem sempre está relacionada à alimentação irregular. Mulheres que sofrem com fluxo menstrual intenso podem adquirir o problema. Falta de atenção, cansaço exagerado, perda de cabelo, unhas fracas e dores nas pernas são consequências do transtorno, já que o sangramento anormal causa a perda de ferro no organismo.

É necessário que a mulher fique atenta a qualquer anormalidade na época da menstruação. Casos em que há um fluxo acima do esperado (que persista por mais de uma semana) e exista a necessidade de troca de absorventes em intervalos pequenos são indícios. Mas antes de qualquer palpite, torna-se de suma importância uma visita ao ginecologista. O especialista irá avaliar qualquer alteração e passará as medidas cabíveis.

Fonte: http://medquimheo.com.br/fluxo-menstrual-aumentado/

25ae7a198b46d6cc1d4ca851ea68481d

De acordo com a médica hematologista do Hospital de Clínicas (HC), Larissa Alessandra Medeiros, até 25% das mulheres em idade fértil podem sofrer com esse distúrbio. Essa maior prevalência se dá devido a características específicas do organismo feminino. “Na maioria dos casos, a anemia acontece devido a uma deficiência de ferro no sangue. No sexo feminino, isso ocorre com mais frequência por causa do sangramento menstrual mensal, muitas vezes excessivo, principalmente em mulheres jovens, quando há irregularidade no ciclo”, afirma.

Outras situações em que as mulheres correm mais riscos de desenvolver esse distúrbio são no parto e no período pré-menopausa. “Com esses sangramentos, as mulheres perdem parte de sua reserva de ferro e, mesmo com alimentação rica neste mineral, não conseguem equilibrar essa perda. Isso também acontece durante a gestação, quando há um gasto maior por causa do feto”, comenta Larissa. Problemas ginecológicos mais sérios, como o mioma, também podem ser a causa da anemia. Por isso, os médicos orientam a realização de consultas regulares e exames preventivos.

Fonte: http://www.parana-online.com.br/canal/mulher/news/692191/?noticia=MULHERES+DEVEM+FICAR+ATENTAS+AOS+SINAIS+DA+ANEMIA

Alex_Garant_Reply_Hazy_Try_Again

Vertigens e tonturas

Tontura é  um dos piores sintomas da anemia na minha opinião.

A tontura é um alerta de que algo no sistema imunológico anda desacordo, seja problemas relacionados a pressão arterial, neurológico, entre outros.
Vertigens e tonturas são sintomas da anemia, pois a diminuição da hemoglobina, dificultam o transporte do oxigênio dos pulmões para os tecidos.

 

FATORES DE RISCO

Crianças e mulheres na pré-menopausa constituem o grupo de maior risco, sendo que as pessoas nas classes socioeconômicas menos favorecidas apresentam o dobro do risco daquelas nas classes média ou alta. As pessoas com o menor risco de anemia são os adolescentes, os homens jovens e as mulheres pós-menopausa.

a) Crianças: nenhuma criança é imune à deficiência de ferro. A anemia neste grupo provavelmente decorre de múltiplos fatores, incluindo introdução muito precoce de leite de vaca, uso de fórmulas pobres em ferro e a natural preferência delas por alimentos com pouco ferro. Crianças estritamente vegetarianas também apresentam um risco elevado de deficiência de ferro.

b) Mulheres na pré-menopausa: cerca de 10% das mulheres em idade fértil apresentam deficiência de ferro, e entre 2% e 5% apresentam nívei de ferro baixos o suficiente para casuar anemia. A anemia leve é particularmente comum nas mulheres que menstruam com muito intensidade ou por mais de 5 dias, que usam dispositivos intrauterinos (DIU) e aqueles que tiveram várias gestações. A gravidez por si já aumenta o risco de anemia, pois a demanda do corpo por ferro e ácido fólico aumenta bastante. Após o parto, 5% a 10% das mulheres apresentam um sangramento significativo que pode causar sintomas de anemia.

c) Idosos: via de regra, a anemia é comum e geralmente não é diagnosticada neste grupo de pessoas. A maioria das pessoas idosas anêmicas desenvolvem o distúrbio como consequência de sangramentos gastrointestinais ou devido à perdas sanguíneas durantes procedimentos
cirúrgicos. Os idosos sem dentes ficam vulneráveis às deficiências de ácido fólico e outras vitaminas. Cerca de uma em cada 100 pessoas acima de 60 anos de idade apresenta anemia perniciosa, sendo que as mulheres apresentam um risco maior que o dos homens.

d) Alcoolistas: os etilistas apresentam riscos de anemia tanto decorrente de sangramentos gastrointestinais como por deficiência de vitaminas do
complexo B.

e) Atletas: a prática desportiva intensa e prolongada, tais como a desenvolvida pelos maratonistas, pode causar pequenos sangramentos gastrointestinais e lesar hemácias. A prática regular de exercícios pode causar uma perda de ferro comparável àquela da menstruação, mas raramente é preocupante.

Fonte: http://tiposdedoencass.blogspot.com.br/2009/06/anemia.html

 

 

Anúncios

5 comentários sobre “Anemia: Causas e riscos

  1. Tenho tido esse diagnóstico por anos seguidos. Mas nunca me importei tanto quanto esse ano. Como você disse “Essa falta de oxigenação consequentemente traz uma deficiência na absorção de nutrientes e vitaminas podendo tornar esse individuo suscetível a outras doenças.” E foi isso que me aconteceu.
    É bom sempre tomar cuidado, não só com a anemia, mas com todos os sintomas que o corpo da e nós simplesmente ignoramos.

    Parabéns pelo post

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s